As orquídeas do Equador foram exploradas desde o tempo da Colônia. Contudo, a grande maioria da flora Orchidaceae do Equador foi descoberta depois da Segunda Guerra Mundial, quando pesquisadores dos Estados Unidos e da Suécia realizaram expedições botânicas, segundo o portal web do Visit Ecuador.
 
 
O Equador conta com 4.032 espécies classificadas e publicadas de orquídeas, 1.714 espécies endêmicas e mais de 400 espécies em processo de classificação, segundo os dados do documentário “Ecuador: país de las orquídeas”.
 
 
Um dado fundamental é que uma cápsula de orquídeas pode conter mais de três milhões de sementes. Somente se pode gerar uma orquídea se as sementes caem ao lado da raiz de uma planta mãe que vive em simbiose com um cogumelo microscópico. Por esta razão, pouquíssimas dessas sementes chegam a gerar uma planta adulta, segundo relata o documentário em menção.
 
 
O Equador é o país mais biodiverso do mundo por quilômetro quadrado. Possui mais de 17.058 espécies de plantas vasculares, ou plantas com flor, como mostra o Quarto Informe Nacional para o Convênio sobre a Diversidade Biológica. 25% destas plantas correspondem a orquídeas.
 
A menor orquídea descoberta no Equador
 
 
Com 2.1 milímetros de largura e pétalas transparentes, a orquídea Teagueia puroana do gênero Platystele cresce nas florestas nubladas do Equador. O botânico Lou Jost, da Fundación EcoMinga descobriu esta orquídea na Reserva Ecológica Cerro Candelaria, localizada entre o Parque Nacional Llanganates e o Parque Nacional Sangay, perto da cidade de Baños de Agua Santa, Tungurahua, de acordo com o portal web do Puro Coffee, associado ao World Land Trust.
 
 
A orquídea Teagueia puroana, com seu nome em homenagem a Puro Coffee, cresce nas ramos baixos e nos troncos de árvores pequenas e isoladas de outra vegetação. Depois de mais de 10 anos de exploração da bacia alta do rio Pastaza, Jost encontrou acidentalmente esta orquídea, enquanto recolhia uma planta maior. "Vi que debaixo, entre as raízes da planta, havia uma um pouco menor, percebi que era mais interessante do que a orquídea maior”, disse o cientista em declarações ao portal web Ciencia 1. 
 
 
As florestas nubladas são ecossistemas idôneos para o desenvolvimento de espécies endêmicas. O Dr. Jost tem realizado um mapeamento da distribuição das orquídeas para aprender mais sobre o processo evolutivo de novas espécies. O cientista está convencido de que ainda há muito por descobrir para a ciência em relação a novas espécies de orquídeas e outras plantas, como declara no portal Puro Coffee.
 
 
Lugares para observar orquídeas
 
 
No Equador há várias zonas que podem ser visitadas para apreciar estas flores. Em Quito podem ser observadas principalmente no Jardim Botânico, localizado no Parque La Carolina, no centro norte de Quito. Ali há uma estufa dedicada às principais espécies de orquídeas que o Equador possui. 
 
 
No Noroeste de Pichincha se encontra Nanegalito, que em sua área de influência contém a Reserva Ecológica El Pahuma, localizada no quilômetro 43 da via Calacalí-Nanegalito-La Independencia. Alberga mais de 200 espécies de orquídeas. Também está a Reserva Maquipucuna, de 5.665 hectares, localizada perto de Nanegal e o eco hotel Bellavista, ao qual se acede pelo desvio no quilômetro 54 da mesma estrada. 
 
 
Por outro lado, na cidade de Guayaquil, no bairro Las Orquídeas, no setor de Pascuales, está o Jardim Botânico, cuja principal atração é a exibição de orquídeas. Em total há 324 espécies de plantas do Equador, incluindo as orquídeas.
 
 
Outros lugares ideais para observar orquídeas é nas proximidades da via Baños-Puyo, situada entre Tungurahua e Pastaza, no centro do país. Igualmente é fatível observar em qualquer área dos sopés da cordilheira oriental ou ocidental dos Andes, em zonas onde haja floresta nublada. É tão comum encontrar orquídeas que por esta razão se denomina o Equador como o país das orquídeas.

Share this post

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn