TURISMO SUSTENTÁVEL: CONSERVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO HARMÔNICO

 

Equilíbrio é o termo que engloba as principais características do turismo sustentável. Em nível mundial este segmento de turismo está no auge, devido às fortes pressões que as atividades humanas, como o turismo, exercem sobre os ecossistemas e as comunidades. O Equador, ao ser um país que alberga maravilhosas riquezas biológicas e culturais, possui várias opções de turismo sustentável em seu território.

 

Em setembro de 2015 se realizou a cerimônia de entrega dos  World Travel Awards 2015 (WTA)em Bogotá, Colômbia. Em relação a destinos, Quito foi eleito como o Destino Líderda América do Sul e o Finch Bay Eco Hotel nas Galápagos como Destino Verde Líder da América do Sul. Em relação a hotéis, Mashpi Lodge, situado na floresta nublada do Noroeste de Pichincha, foi premiado como o Melhor Hotel Verde do Equador, segundo o portal web dos WTA 2015.

 

Sustentabilidade

 

Segundo a Organização Mundial de Turismo(OMT),os princípios de sustentabilidade se referem a aspectos ambientais,econômicos e socioculturais do desenvolvimento turístico, devendo-se estabelecer um equilíbrio adequado entre essas três dimensões para garantir sua sustentabilidade em longo prazo”, indica o portal web da OMT.

 

Em relação ao primeiro aspecto, diz-se que o turismo sustentável deve “dar um ótimo uso aos recursos ambientais, que são um elemento fundamental do desenvolvimento turístico, mantendo os processos ecológicos essenciais e ajudando a conservar os recursos naturais e a diversidade biológica”, destaca o mesmo portal.

 

O segundo tema é “respeitar a autenticidade sociocultural das comunidades anfitriãs, conservar seus ativos culturais e arquitetônicos e seus valores tradicionais e contribuir ao entendimento e à tolerância intercultural”.

 

Finalmente, o terceiro é “assegurar umas atividades econômicas viáveis em longo prazo, que propiciem a todos os agentes benefícios socioeconômicos bem distribuídos, entre os quais estão empregos estáveis e obtenção de rendimentos e serviços sociais para as comunidades anfitriãs que contribuam à redução da pobreza”, indica o portal da OMT.

 

Um ponto fundamental é que o turismo sustentável “deve dar também um alto grau de satisfação aos turistas e representar-lhes uma experiência significativa, que os torne mais conscientes da sustentabilidade e fomente práticas turísticas sustentáveis”, de acordo com a OMT.

 

Outro conceito é do portal web Eco inteligencia, que destaca a importância de “atender as necessidades atuais sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas, garantindo um equilíbrio entre crescimento econômico, cuidado do meio ambiente e bem-estar social, o que se conhece como Tripé da Sustentabilidade”, indica.

 

Por outro lado, o Conselho Global de Turismo Sustentável (GSTC por suas siglas em inglês), fundamenta o conceito de turismo sustentável em quatro critérios macro: manejo sustentável, impactos socioambientais, impactos culturais e impactos ambientais (incluindo o consumo de recursos, a redução da contaminação e a conservação da biodiversidade e as paisagens, segundo indica seu portal web.

 

Turismo Sustentável no Equador

 

Mashpi Lodge - Pichincha

 

No noroeste do Distrito Metropolitano de Quito se encontra Mashpi Lodge, situado em meio das florestas nubladas do Chocó-Darién, as quais estão consideradas como “hot spots”: lugares onde existe uma alta concentração de biodiversidade de fauna e flora. Aí vivem ursos-de-óculos, jaguatiricas, antas, pumas, colibris, tucanos, corujas e outras 450 espécies de aves, entre as principais. Em relação à flora, observam-se muitas plantas epífitas, tais como orquídeas e bromélias.

 

Mashpi Lodge é um lugar onde a comodidade e a conservação da natureza se entrelaçam.  “Mashpi é mais do que um hotel cinco estrelas na metade de uma fantástica floresta: foi concebido e planejado para oferecer uma experiência de viagem única em sua classe, onde os elementos materiais são o complemento perfeito para desfrutar de um inigualável contato muito próximo com a fauna, flora, geologia, geografia, ecologia, climas, paisagens e características históricas deste extraordinariamente biodiverso rincão do mundo, agora protegido como Reserva Natural”, descreve o website do estabelecimento.

 

O hotel foi construído com paredes de aço que foram pré-fabricadas em Quito antes de serem transportadas, para minimizar o impacto na floresta. O hotel utiliza luzes LED para reduzir o consumo de energia. Também utiliza luzes amarelas para não atrair os insetos pela noite. O hotel trata as águas residuais de forma biológica, utilizando seus resíduos orgânicos e reciclando os resíduos sólidos, de acordo com a informação obtida no portal web do Mashpi.

 

O hotel trabalha com a comunidade local do Mashpi para a provisão de produtos orgânicos da zona, o que reduz a pegada de carbono e proporciona rendimentos à comunidade. O propósito do hotel é que 80% de seus empregados sejam da comunidade local. Os guias do Mashpi são os melhores guias naturalistas no país; vários deles são nativos e residentes da zona, que transmitem com paixão e entusiasmo seu conhecimento sobre a floresta e a importância mundial da biodiversidade, segundo indica o website do hotel.

 

O projeto Mashpi foi um dos primeiros no país em participar no programa governamental "Cree Ecuador", idealizado pelo Ministério de Produção. Isto implica que o Ministério investe USD 1,5 milhões do custo total do projeto. Em troca, a empresa colaborará com o Ministério para criar e apoiar uma associação local comunitária na qual seus empregados possuam um mínimo de 10% das ações deste valor, segundo o portal web do Mashpi.

 

No Mashpi podem ser realizadas caminhadas na floresta primária para observar a abundante flora e fauna do lugar, assim como também existe uma atividade que consiste em atravessar de bicicleta pelo alto da floresta (na altura das árvores). Há programas de 4 dias, 3 noites e de 3 dias, 2 noites.

 

Finch Bay Eco Hotel - Galápagos

 

Situa-se na Praia “de los Alemanes” em Puerto Ayora, ilha Santa Cruz. O Finch Bay possui várias medidas que o convertem no hotel mais sustentável do arquipélago Galápagos. É o único hotel nas ilhas que possui sua própria estação de tratamento de águas residuais. Tem painéis solares que reduzem o consumo de energia entre 50 e 70% para aquecer água, sensores de movimento e aparelhos elétricos eco eficientes, segundo o  website do hotel.

 

O isolamento das habitações foi adaptado para manter o ar frio no interior. Os sabonetes, detergentes e xampus são fabricados com ingredientes biodegradáveis. Por outro lado, o hotel classifica seus dejetos e recicla  plástico, vidro, papel e papelão.  Os resíduos orgânicos são utilizados como compostagem. 

 

sistema de compostagem enriquece a horta de vegetais, verduras e ervas do hotel e, consequentemente, menos comida é transportada ao hotel, reduzindo assim sua pegada de carbono. O Finch Bay não oferece comida para levar e não há uso de pratos nem talheres descartáveis. Todos os alimentos e produtos são provenientes de estabelecimentos locais.

 

O hotel coleta diariamente a água da chuva e a purifica para seu posterior uso. Constantemente, monitoram seu sistema de encanamento para evitar desperdício de água. Por outro lado, o Finch Bay plantou mais de 500 árvores de manguezal ao redor do hotel.

 

Napo Wildlife Center – Parque Nacional Yasuní

 

Está considerado como o eco lodge mais luxuoso da Amazônia do Equador. O Napo Wildlife Center (NWC) se situa na lagoa Añangucocha, na reserva indígena do povo Kichwa Añangu, proprietário de 21.000 hectares de floresta chuvosa amazônica. Está situado dentro do Parque Nacional Yasuní.

 

Desde El Coca, Orellana, viaja-se em uma canoa motorizada durante duas horas pelo Rio Napo, até chegar à entrada do canal de águas negras da comunidade Añangu, lugar onde os passageiros mudam para uma canoa a remos. Há várias atividades para realizar durante a estadia.

 

O Napo Wildlife Center é um bom exemplo de projeto de turismo sustentável devido a que a comunidade Kichwa de Añangu é proprietária e gestora do luxuoso hotel, tornando-o um projeto socialmente sustentável,visto que se beneficia dos lucros gerados pelo seu funcionamento.

 

A comunidade investiu em um exclusivo sistema, provavelmente o melhor e mais avançado da Amazônia equatoriana: todas as águas residuais são processadas biologicamente para manter os pântanos limpos. Por outro lado, a energia é gerada por painéis solares, baterias industriais e geradores silenciosos, que compõem um sistema eficiente com um mínimo impacto ambiental, de acordo com o portal web do Lodge.

 

O Lodge oferece várias atividades, como a ascensão à torre de observação do “canopy” ou piso ecológico superior da floresta, sendo esta a atividade principal no NWC. A torre tem 40 metros de altura e está construída junto a uma árvore. Ao amanhecer podem ser observadas várias espécies de animais: macacos gritadores, macacos-pregos, ursos preguiças, harpias, tucanos, tangarás, hoatzines, entre as principais espécies. 

Share this post

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn