ADVENTURA


Rios cristalinos, espetaculares paisagens florestais e imponentes cascatas. São algumas das características que descrevem parte da experiência de praticar esportes de aventura na Amazônia. Os esportes mais conhecidos são o rafting, caiaque, canyoning, ciclismo, e trekking. A província de Napo é uma das mais populares na região amazônica para experimentá-los.


O esporte mais praticado é o rafting, “visto que na maioria dos casos não se necessita experiência para poder realizá-lo. Há rios de diferentes níveis de dificuldade e de fácil acesso”, explica Roberto Rueda, representante da operadora turística Torrent Duck. O cantão Quijos é o polo de atração destes esportes. Os rios Jondachi, JatunYacu, Anzu e Napo são adequados para a prática de rafting.



“Em Napo a variedade de rios com diferentes cenários faz que esta província tenha um grande potencial para este esporte”, diz o experto. “No Equador está crescendo o rafting, visto que pode ser praticado em várias províncias do pais. O importante é que se possa operar da mesma maneira seguindo protocolos de segurança”, menciona Rueda.


Por outro lado, a prática de caiaque é realizada nos rios Papallacta, Oyacachi, Cosanga, Quijos, Jondachi, Alto e Baixo Misahuallí, Pano, Tena, Anzu, JatunYacu e Napo. “O Equador é o terceiro melhor destino no mundo para rafting e caiaque. O caiaque de rio é especial no Equador porque há mais opções que o rafting para praticá-lo. Estamos em um ponto estratégico para o caiaque de rio por ter a cordilheira dos Andes. Isso permite que hajain meráveisrios que baixamda cordilheira ocidental e oriental”, observa. Os melhores lugares para fazer caiaque são: Baeza, Tena, Macas, Baños, e Zamora Chinchipe. “Todas as opções para praticar caiaque de rio deveriam ser mais bem aproveitadas, visto que este esporte tem muito mais potencial que outros pela imensa gama de destinos em que pode ser praticado”, acrescenta Rueda. Ao referir-se aos circuitos que combinam várias atividades de aventura, Rueda fala do Parque Nacional Cotopaxi, Reserva Ecológica Antisana, Parque Nacional Cayambe Coca, Parque Nacional Sumaco-Napo-Galeras, entre os principais. Acredita que são zonas com alto potencial para realizar estes esportes.


Ele diz, ainda, que Zamora Chinchipe, Macas em Morona Santiago, e Intag e Mira em Imbabura, são áreas potenciais para a prática d estes esportes. “O Equador tem um potencial enorme para desenvolver rotas turísticas de aventura em todas suas áreas protegidas. A chave seria potencializar as operações existentes per todas áreas, para integrá-las nas zonas protegidas. Também é importante capacitar os operadores para o desenvolvimento de atividades em áreas protegidas”, afirma Rueda.


Assegure-se de que os fornecedores contêm com licenças de operaçãoe e de que seus guias sejam certificados e tenham experiência. Procure as melhores opções segundo o clima (nível de água). Isto faz com que encontre o tour de que necessita, com as condições perfeitas para seu desenvolvimento. Procure operadores locais especializados.

Share this post

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn